UMA RELAÇÃO TERRIFICANTE DA IGREJA CATÓLICA FRANCESA

Notre Dame de Paris.

Os dados do relatório, publicado na França por uma Comissão de Inquérito independente, que mostram que, nos últimos setenta anos (de 1950 a 2020), pelo menos 216.000 menores - dos quais 80% são homens - são verdadeiramente assustadores: vítimas de pedofilia nas mãos de cerca de 3.200 padres ou religiosos. O número de pessoas que sofreram abusos sobe para 330.000 se somarmos aqueles que os receberam de leigos que trabalham em instituições eclesiásticas.Read more


O QUE É A IGREJA CATÓLICA?

O QUE É A IGREJA CATÓLICA?

Em uma época de Sínodos sobre Sinodalidade, de conversações sobre conversações, de fofoca sobre fofoca, acho importante voltar a considerar o que é a Igreja Católica. Afinal, todos nós frequentemente brigamos em torno da Igreja e parece que estamos quase perdendo seu verdadeiro significado, sua essência mais profunda. A Igreja deve trazer homens e mulheres de boa vontade para ver a Deus por meio do Filho, Jesus Cristo. Em João (12,44-50) se diz: "Jesus exclamou em voz alta: “Aquele que crê em mim crê não em mim, mas naquele que me enviou; e aquele que me vê, vê aquele que me enviou. Eu vim como luz ao mundo; assim, todo aquele que crer em mim não ficará nas trevas. Se alguém ouve as minhas palavras e não as guarda, eu não o condenarei, porque não vim para condenar o mundo, mas para salvá-lo. Quem me despreza e não recebe as minhas palavras têm quem o julgue; a palavra que anunciei, essa o julgará no último dia. Em verdade, não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele mesmo me prescreveu o que devo dizer e o que devo ensinar. E sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, o que digo, digo-o segundo me falou o Pai”".Read more


VÍDEO MENSAGEM do Arcebispo Carlo Maria Viganò Roma - Piazza del Popolo 9 de outubro de 2021.

Arcebispo Carlo Maria Viganò

Caros amigos,

 Vocês se reuniram hoje em Roma, na Piazza del Popolo e em muitas outras praças da Itália, enquanto centenas de milhares de pessoas ao redor do mundo manifestam sua oposição ao estabelecimento de uma tirania global. Milhões de cidadãos de todas as nações, no silêncio ensurdecedor da mídia, gritaram seu próprio "Não!": Não à loucura pandêmica. Não aos bloqueios, toques de recolher, à imposição de vacinas. Não aos passaportes de saúde, à chantagem de uma potência totalitária escravizada pela elite.Read more


DEUS NUNCA ABANDONA SEUS AMIGOS!

DEUS NUNCA ABANDONA SEUS AMIGOS!

 Com trabalho constante, refinado e sutil, o príncipe das trevas e seus seguidores trabalharam contra Deus durante séculos. Nos últimos sessenta anos, todo o arsenal anticristo lançou seu ataque mais poderoso. Assim começou o processo de liquidação da realidade terrena da Igreja e de descristianização do mundo ocidental e da Itália em particular.Read more


Mensagem de Nossa Senhora Rainha da Paz - 25 de setembro de 2021

MENSAGEM DE NOSSA SENHORA RAINHA DA PAZ

25 de setembro de 2021

“Queridos filhos!

Rezem, testemunhem e alegrem-se comigo, pois o Altíssimo continua a me enviar novamente para conduzi-los no caminho da santidade. Estejam cientes, filhinhos, que sua vida é curta e a eternidade os espera para que com todos os santos glorifiquem a Deus com todo o seu ser. Não se preocupem, filhinhos, com as coisas terrenas, mas anseiem pelo céu. O céu será sua meta e a alegria reinará em seus corações. Estou com vocês e abençoo a todos com a minha bênção maternal.

                                      Obrigada por terem respondido ao meu chamado”


Bispo Athanasius Schneider sobre vacinas contaminadas pelo aborto e a cultura da morte.

O sangue de crianças por nascer assassinadas clama a Deus pelas vacinas e medicamentos contaminados pelo aborto.

As potências mundiais anticristãs que promovem a cultura da morte estão tentando impor à população mundial uma implícita – embora remota e passiva – colaboração com o aborto. Essa colaboração remota, por si só, é também um mal devido às circunstâncias históricas extraordinárias em que essas mesmas potências mundiais estão promovendo o assassinato de crianças em gestação e a exploração de seus restos mortais. Quando usamos vacinas ou medicamentos que utilizam linhagens celulares originárias de bebês abortados, nos beneficiamos fisicamente dos “frutos” de um dos maiores males da humanidade – o cruel genocídio do nascituro. Pois, se uma criança inocente não tivesse sido cruelmente assassinada, não teríamos essas vacinas ou remédios concretos. Não devemos ser tão ingênuos a ponto de não ver que essas vacinas e medicamentos não só oferecem um benefício à saúde, mas também prometem promover a cultura da morte. Claro, alguns argumentam que mesmo que as pessoas não tomem essas vacinas, a indústria do aborto continuará. Podemos não reduzir o número de abortos se pararmos de tomar essas vacinas ou medicamentos, mas esse não é o problema. O problema está no enfraquecimento moral de nossa resistência ao crime de aborto e ao crime de tráfico, exploração e comercialização de partes do corpo de crianças por nascer assassinadas. O uso de tais vacinas e medicamentos de alguma forma moral – embora indiretamente – apóia essa situação horrível. Observando a resposta da Igreja Católica, os abortistas e os responsáveis pela pesquisa biomédica concluirão que a hierarquia concordou com essa situação, que inclui toda uma cadeia de crimes contra a vida e, de fato, pode ser apropriadamente descrita como uma “cadeia de morte”. Temos que despertar para os perigos, consequências e circunstâncias reais da situação atual.Read more


PARA DEFENDER O REBANHO DOS LOBOS

PARA DEFENDER O REBANHO DOS LOBOS PROCLAMAMOS A PROFISSÃO DE FÉ ANTILUTERANA

 

Aqueles que querem proteger as ovelhas, para não perdê-las devem alertar contra os lobos. Uma vez tudo era feito para proteger contra os erros. Lemos a Profissão de Fé Antiluterana que foi promulgada pelo Papa Pio IV em 1564, na conclusão do Concílio de Trento.

A primeira parte lembra o Credo, a segunda é uma resposta precisa ao luteranismo.Read more


BEM VINDO À TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

BEM VINDO À TERCEIRA GUERRA MUNDIAL

 

O que está sendo travada é a terceira guerra mundial, para a qual as duas primeiras foram a preparação lógica e necessária. O grande capital financeiro as queria, as provocou, as alimentou: agora estão lançando o ataque final. Não mais contra os estados, usando outros estados, mas diretamente contra os povos e a economia real, uma vez que agora eliminou todas as ideologias potencialmente adversas e controla quase todos os estados; portanto, eles nem precisam trazer para o campo navios de guerra, divisões blindadas e esquadrões de bombardeiros: basta mobilizar políticos, administradores públicos, médicos, jornalistas, administradores de escolas e, claro, os líderes das forças militares. Já não se trata de conquistar cidades e territórios, nem de ocupar zonas estratégicas ou zonas industriais e mineiras: agora se trata de subjugar toda a população, de modelá-la como se faz com o metal fundido, de impor toda espécie de limitações nela e para controlar, e ainda mais para manipular sua mente, para fazê-la cooperar voluntariamente em sua própria escravidão. Não é nada difícil, quando se tem os meios de informação e toda a classe política, tanto o governo como a autodenominada oposição e, sobretudo, também uma grande parte do clero. Afinal, trata-se apenas de colher os frutos de um trabalho paciente e metódico de semeadura que durante anos, décadas, foi se desconstruindo gradativamente todos os referenciais e todas as realidades orgânicas e vitais, da família à escola, dos partidos aos sindicatos, do judiciário às forças armadas.

O que propõem os mestres do grande capital financeiro? Eles querem, dizem, estabelecer a Nova Ordem Mundial. Muito bom. Não há mais estados, mas um superestado mundial. Não há mais dinheiro corrente, não há mais economia real, não há mais poupança, não há mais propriedade privada, mas apenas uma renda básica de cidadania. E não há mais sombra de autonomia para escolas, universidades, pesquisas científicas, instituições de saúde e hospitalares, tribunais, direito. Fim dos carros particulares, limitações drásticas nas viagens individuais, redução máxima do tráfego aéreo: como nos séculos passados, a população estará mais uma vez intimamente ligada ao território; mas sem a identidade comum que a tornava uma comunidade coesa e autoconsciente. Tudo e todos sob controle constante, despojados de todos os recursos e reduzidos a viver única e exclusivamente do que o superestado vai passar para eles, claro que sob certas condições. Em primeiro lugar: submissão ao regime permanente, que permitirá o controle permanente de cada indivíduo através da inserção de microchips (como já acontece na Suécia) e do seu registro numa base de dados geral de todos os seus dados pessoais, desde o grupo sanguíneo ao correio privado, navegar na rede e a documentação e arquivo escrupulosa de todos os sites visitados e toda a informação trocada nas redes sociais.

Afinal, os mestres das grandes finanças internacionais já têm todo o dinheiro que desejam e, se precisarem de mais, simplesmente imprimem na quantidade desejada, controlando todos os bancos centrais. Portanto, eles não precisam do dinheiro das pessoas comuns ou mesmo das reservas de ouro dos estados: eles já os controlam. Não querem privar de suas economias as pessoas comuns para aumentar seu capital: fazem isso para reduzir todos à condição de oprimidos e estabelecer, de cima, um super comunismo para uso e consumo de qualquer povo, reservando para si um tipo de vida completamente diferente, que na verdade eles já vivem. Mas então eles podem não apenas controlar o mundo, mas também serem adorados como deuses ou semideuses. (Veja a Coreia do Norte). Quando todos estiverem no limiar da pobreza e for suficiente dizer uma palavra errada para ter sua renda de cidadania cancelada, e assim negado o direito de sobreviver, eles, detentores de toda riqueza, de toda tecnologia, de todos, a força material, e os donos de fato de todos os lugares onde a cultura se desenvolve e o que é certo e errado, o que é bom e o que é mau, o que tem o direito de existir e o que deve desaparecer, passarão para a segunda e última fase de seu plano mundial: colocar-se como divindade acima da humanidade comum, e reivindicar para si honras divinas e uma submissão cega e total do escravo, sob pena de morte para quem se atrever a se opor a tal religião. É por isso que o Cristianismo deve desaparecer, assim como outras religiões: para que apenas a religião dos Iluminados permaneça; (Quero dizer os maçons) e não apenas o corpo, mas também a alma das pessoas é totalmente subjugada e aniquilada.

Esta, então, é essencialmente uma guerra espiritual. Agora, porém, com a vitória final já aparecendo no horizonte, mas ainda não totalmente percebida, muito menos consolidada - porque há muitas, muitas variáveis que até eles lutarão para controlar totalmente - o nó da batalha é político. Vejamos o caso do Brasil. Muitos da classe dominante brasileira estão na folha de pagamento dos poderosos deste mundo e de qualquer forma sabem, apesar de sua inteligência limitada, que em condições normais, ou seja, se houvesse um jogo democrático real, eles não poderiam ocupar seus lugares um minuto a mais. Portanto, eles têm todo o interesse em obedecer incondicionalmente às diretrizes do poder globalista, que os mantém em um papel, ainda que uma fachada, que oferece inúmeras vantagens e nenhuma responsabilidade pessoal. As categorias profissionais são alinhadas por interesse, por conformidade e por covardia; mas os políticos os são porque conhecem a voz do patrão e porque atuam nesse sentido: em nome de seus patrões e, portanto, de fato, contra o Brasil e o povo brasileiro. Tecnicamente falando, eles são traidores, Quislings (do sobrenome do político norueguês Vidkun Quisling, que chefiou um governo fantoche): eles sabem como são as coisas e sabem a quem estão servindo e contra quem estão agindo, mas não estão no menos perturbados: por exemplo, recomendam e impõem um "elixir de longa vida" e fingem que o tomaram, mas será que é verdade? Ou eles próprios injetaram água fresca ou trouxeram seus braços para seringas falsas com uma agulha de plástico dobrável. Em visita a Roma, por um euro, se vendia uma seringa de plástico com agulha retrátil. Eles sabem o que há nessa mistura e têm o cuidado de não levá-la para si e para suas famílias: eles a reservam para o rebanho humano que devem administrar em nome de seus donos; e acham isso completamente normal, porque provavelmente se sentem melhor do que os outros e pensam que têm o direito de sobreviver, enquanto o homem comum, inútil ou nocivo por sua excessiva prolificidade, deve ser exterminado para o bem do ecossistema, como os mosquitos, exterminados com as campanhas adequadas de pulverização de DDT. Infertilidade e doenças fatais induzidas, que tornaram muitas mulheres inférteis na Índia e na África, são ignoradas em silêncio, mas aumentam os cofres de Bill Gate e companhia….

Então, nesta fase, a batalha é política. Os partidos, governo e oposição, estão sob o controle total dos Donos Universais. Mas se falta, de fato, a oposição, então isso significa que a democracia está morta: nos encontramos em um totalitarismo mal disfarçado, onde pensar diferente do regime no poder equivale a um crime de traição e deve ser punido com os rigores da lei., como aconteceu durante a Revolução Francesa. Quem não pensava como o governo, "acabava guilhotinado". Por outro lado, esta situação não é inteiramente sem incógnitas para eles e possibilidade de reação para nós. Eles controlam os partidos, mas não controlam completamente a opinião pública. Eles controlam uma grande parte dela, mas talvez não tão grande quanto parece: muitas pessoas se adaptaram e se submeteram mais por medo ou falta de senso crítico do que por convicção. É nesta fatia de não resignados e não convencidos, e também naquela de meio convictos e sujeitos com reserva que devemos alavancar. Devemos recorrer a eles: abrir um debate em todos os lugares onde isso for possível; e se não pode fazer isso fisicamente, pode-se fazê-lo eletronicamente. O regime que eles querem impor é tão antinatural, tão monstruoso, tão contrário ao próprio instinto de sobrevivência, que passar para a segunda fase de seu plano não será um passeio no parque mesmo para aqueles com um poder tão enorme. O bom senso, a moralidade, o instinto de autopreservação permanecem do lado das pessoas comuns; o bom direito de quem luta pela verdade, liberdade e justiça permanece. Não é pouco. Não desanime, nem dê por certo que as coisas vão acabar como eles querem. A última palavra ainda não foi dita. Coragem. Deus, que é a verdade, está conosco e contra eles.

 

VIVA CRISTO REI, VIVA OS PATRIOTAS BRASILEIROS!


RETORNAR À COMUNHÃO NA BOCA E DE JOELHOS

 

RETORNAR À COMUNHÃO

NA BOCA E DE JOELHOS

Não posso esquecer aquelas cenas comoventes dos tempos de perseguição à Igreja (na Polônia, na época do comunismo), quando em pequenas salas cheias de fiéis durante a Santa Missa, crianças, idosos e enfermos se ajoelhavam recebendo com edificação reverencial o Corpo do Senhor.Read more


Carta de um médico para Papa Francesco e o primeiro-ministro Draghi.

Carta de um médico para Papa Francesco

e o primeiro-ministro Draghi.

"Você, querido Francesco, declarou em janeiro:

'Não sei por que alguém diz que a vacina é perigosa, se os médicos a apresentam como algo que pode fazer bem e não tem perigos especiais, por que não tomá-la? Existe uma negação suicida que não sei explicar, mas hoje temos que tomar a vacina'.

Caro Francesco, a respeito de "negação suicida", o Prof. Cavanna foi de fazenda em fazenda, tratou seus pacientes com hidroxicloroquina, salvando muitas pessoas. Também notaram no exterior e dedicaram a ele a capa do Times, mas a notícia não chegou ao Vaticano.Read more