Faça a sua Doação!

      

Quem está Online!

Nós temos 473 visitantes online
Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo PDF Imprimir E-mail

cristo_reiLeituras:
1ª Leitura - Ez 34,11-12.15-17
Salmo - Sl 22,1-2a.2b-3.5-6 (R.1)
2ª Leitura - 1Cor 15,20-26.28
Evangelho - Mt 25,31-46

"Quando o Filho do Homem vier em sua glória..."

"Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 31Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. 32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: `Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar'. 37Então os justos lhe perguntarão: `Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?' 40Então o Rei lhes responderá: `Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!' 41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: `Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'. 44E responderão também eles: `Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?' 45Então o Rei lhes responderá: `Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!' 46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna'."


Comentário por Padre Simeão Maria.

O título de Filho do Homem é atribuído a Jesus no contexto da sua identidade e vida pública. Nesse Evangelho o Filho do Homem aparece como juiz. A glória indica o aspecto Divino-Real. O Cristo Jesus aparece em sua realeza. A palavra glória em hebraico kadòd indica consistência, Plenitude. Os anjos, o trono, fazem alusão a corte celeste. O Kirios glorioso é apresentado na plenitude de seu poder real, que deriva do seu senhorio e da salvação oferecida a humanidade.

"Todos os povos da terra serão reunidos diante dele..." É a dimensão da universalidade da salvação trazida por Cristo Jesus e do seu poder universal que abrange todos os povos da terra, o poder de julgar que Cristo recebeu do Pai. Jesus Cristo Rei do universo virá na sua Glória, virá para julgar  todas as nações. Ele virá realizar o sonho do Pai, realizar o sonho de todos os homens. Quando? Onde? Ninguém sabe. A sua vinda será uma manifestação do Reino, que vem de forma imprevisível. As obras, isto é, as ações e os fatos da história serão submetidos ao julgamento do Rei da Glória. Mas mesmo no aspecto judiciário, de prêmio ou castigo, devemos ver o anúncio evangélico, isto é, a Boa Notícia. Jesus é o Rei-Pastor anunciado pelos profetas de Israel, o Rei justo, nele aparecerá o esplendor e a plenitude de Cristo Jesus, será o triunfo do amor. Pelo amor seremos julgados e entraremos em sua presença. O amor a Deus manifestado no servir ao próximo necessitado que é levado em conta pelo Rei. A Realeza de Cristo Jesus atua no mundo discernindo pensamentos e ações. O juízo do Rei é consumação da história da humanidade. A história de todos os homens e mulheres, do mundo, da Igreja que caminha, que luta todos os dias na perspectiva do juízo final, na espera da parusia, para o desfecho de toda realidade a ser julgada, para se inserir e reconciliar ou ser afastada da Realeza do Filho do Homem.

Todo cristão é Rei com Cristo pelo Batismo e possui um Reino por herança: “Deles fizeste um reino de sacerdotes e reinarão sobre a terra” (Ap 5,10). Arrancou-nos do poder das trevas e transferiu-nos para o Reino de seu Filho. “Vinde! ...Eu estava com fome e me destes de comer”. Reinar significa repartir-se, partilhar com os famintos e sedentos, aqueles que gritam por pós. Para possuir o Reino, o essencial é amar. Seremos coroados, quando tivermos o mesmo sentir de Cristo Jesus e vivermos com Ele a filiação adotiva. O Cristo Jesus reina nos corações que abrem a sua Realeza, para viver o seu projeto de amor e de doação ao Pai. Aqueles que reinam com Cristo, são os que O enxerga no menor de seus irmãos. Ajudar o próximo por causa de Jesus não significa filantropia. Mas é uma resposta ao Evangelho do Reino de Jesus, o Reino que não é deste mundo.

Uma obra de misericórdia é realizada por amor a Jesus. Pois Ele se identifica com aquele que tem fome, com aquele que está com sede, com aquele que não tem onde se hospedar, com aquele que não tem o que vestir, com aquele que está na prisão, com aquele que está enfermo. Jesus fez-se próximo do necessitado e irmão dos pequenos.

"Christus vincit, Christus regnat, Christus imperat!"



 

Noticias do Vaticano

News.va