BISPOS PERMANECEM CATÓLICOS

Bispos Católicos

Na confusão extraordinária e marcante que estamos enfrentando na Igreja, de vez em quando chega uma notícia que dá alívio e esperança para o futuro, por mais escuro que o horizonte possa parecer e ambíguo, inepto e decepcionante a liderança em todos os níveis, com as poucas e exceções meritórias.

Bem, recebi uma dessas notícias da Austrália e estou feliz em compartilhar com vocês.

Estudantes católicos australianos enviaram uma carta aberta aos bispos antes do próximo quinto conselho plenário da igreja no país. E até agora nada de estranho. Mas o conteúdo é muito interessante. De fato, os alunos exortam os bispos a permanecer comprometidos com o ensino da Igreja e a rejeitar apelos à ordenação de mulheres.

Muitas contribuições ao Conselho Plenário fizeram a recomendação louvável de integrar as mulheres de maneira mais eficaz nas estruturas de governança da Igreja existentes“, diz a carta, assinada por mais de 200 estudantes e ex-alunos associados à Associação Australiana de Estudantes Católicos ( ACSA). O principal signatário foi o presidente da ACSA, Alexander Kennedy.

No entanto, foi com grande tristeza que percebemos que muitas contribuições pediam uma modificação da própria constituição da Igreja que também queria Cristo, Encoraja-nos o fato de que grande parte dos estudantes acrescentaram. “Pedimos ao conselho plenário e aos bispos da Austrália que rejeitem inequivocamente todos os pedidos de ordenação de mulheres“.

O Quinto Conselho Plenário está agendado para 3-10 de outubro de 2021 em Adelaide, Austrália, seguido de uma segunda assembleia em 4-9 de julho de 2022 em Sydney. As datas foram adiadas da programação original devido à pandemia em curso do COVID-19.

A carta dos alunos explicava que eles apoiam totalmente o respeito devido aos papéis que as mulheres desempenham na Igreja, mas que, como São João Paulo II e seus sucessores, não acreditam que esses papéis se estendam à ordenação sacerdotal. Pelo contrário, eles dão “apoio incondicional à integração das mulheres em papéis ainda mais importantes em setores como teologia sagrada, comunicação, evangelização e (na medida em que os leigos são capazes disso) no governo“.

A vice-presidente da ACSA, Claudia Tohi, acrescentou que “esta carta expressa nosso desejo de compartilhar Cristo com outras pessoas sem vergonha, com clareza e com a ajuda de nossos líderes“.

A verdade“, disse Tohi, “não é determinada pelo clima da época, nem é um mero conceito abstrato. A verdade é uma pessoa, o Filho de Deus que renunciou à sua vida pela salvação de toda a humanidade“.

Os jovens desejam um relacionamento autêntico com Cristo; isso não será facilitado por uma comissão“, afirmou a carta. “Acreditamos que a verdadeira reforma da Igreja não virá de uma simples mudança de recursos de um comitê para outro, mas da redescoberta, convicção e amor da fé católica por todos os católicos“.

Pedimos ao Conselho Plenário que reacenda na Igreja da Austrália às verdades eternas do Evangelho proclamadas pela Igreja há vinte séculos“, esta é a mensagem.